outubro 12, 2013

Infância


We're older now, the light is dim and you are only just beginning.*

Você estará com essa foto em mãos quando teu neto dirá: “O que foi vovó? Tá chorando? Quem são eles? Não chora vó..” Com um sorriso no rosto começará a história... Eram três amigos, Harry, o menino da cicatriz na testa que tinha os olhos idênticos aos da mãe e o restante idêntico ao pai, seus pais haviam por um cara muito mal que todos tinham medo. Rony, o ruivo desajeitado que vivia com seus outros 6 irmãos, inclusive Gina, a única menina. Hermione era extremamente inteligente e mandona, mas era a única que conseguia fazer com que Rony e Harry passassem de ano em Hogwarts, a escola de magia em que estudavam. Hagrid, o meio gigante e guarda-caça da escola, tinha grande amor por Harry e os outros dois, sempre os ajudando e aprontando junto com eles. E Canino, seu cachorro. Contaria do cachorro de três cabeças, dos feitiços, das aulas, dos professores chatos que por fim eram heróis, do diretor que sempre apoiou ambos e amava meias, da transformação da professora em um gato, dos alunos briguentos de cabelo loiro e liso e seus capangas, dos comensais da morte que andavam com o vilão, e Voldemort, o grande vilão que matara os pais de Harry e deixara nele aquela cicatriz. Não se esquecendo das aranhas gigantes, gigantes, dragões, duendes, salamandras, do famoso quadribol, da coruja Edwirges, dos elfos domésticos e da grande dor da perda de Dobby, lobisomens, do hipogrifo, dos trouxas, da paixão secreta de Rony e Mione, das relíquias da morte, dos dementadores, as 4 grande casas de Hogwarts, o grande torneio tribruxo, dos óculos redondos de Harry, a morte de amigos na batalha contra aquele-que-não-deve-ser-nomeado, do rato de Rony, o poder de Voldemort e a coragem do trio em derrubá-lo. “Vovó, eles conseguem matar o malvado no fim?” Você sorridente, com um orgulho, responde “Claro, a força de uma amizade pode derrubar qualquer coisa. E eles tinham, eles foram a prova de amizade mais real que eu já vi em toda minha vida.” Com seus 80 e poucos anos ainda se lembraria das trapalhadas do Rony, do primeiro beijo do Harry, do ciúmes da Hermione, dos tênis da Luna presos no alto do teto do castelo, do sapo sempre fugitivo de Neville, da falta de nariz de Voldemort, da paixão de Gina por Harry, da beleza e leveza de Fleur, da agilidade no quadribol de Vitor Krum, da sabedoria de Dumbledore, das armadilhas de Draco, da burrice de Crabbe e Goyle, do carinho de Sirius, das mãos do tamanho de tampas de lata de lixo do Hagrid, do segredo de Lupin, o relógio diferente da casa dos Weasley, da crueldade de Bellatrix, das pegadinhas dos gêmeos Fred e Jorge Weasley, do cabelo oleoso de Snape, … “Vovó, ei, vovó, por que tá chorando? É só uma história, não precisa chorar..” E com orgulho diria: “Não é apenas uma história, é uma lenda. Minha infância inteira está aí, nesses 7 livros que nunca foram esquecidos dentre esses longos anos que se passaram desde o fim.

É impossível falar de infância e não falar de Harry Potter. Feliz dia das crianças! 

0 mini memórias:

Postar um comentário