janeiro 27, 2013

Domingo cinza


Hoje poderia ser um domingo como tantos outros, onde tem muita gente aí com a ressaca da festa de ontem, tem gente acordando agora porque voltou ás seis e tem outros que estão indo para casa da vó comer macarrão. Mas hoje também tem o silêncio daqueles que não voltaram da festa ontem, tem a dor de uma mãe que perdeu o único filho, do pai que perdeu seu sorriso e dos amigos que perderam uma metade. Hoje é um domingo cinza. 
Não venho pra julgar a culpa dos seguranças que fecharam as portas, nem muito menos do garçom que pediu que pagasse a conta antes que saísse, do cara com o fogo, o dono da boate, a estrutura do local ou qualquer coisa do tipo, venho somente para dizer que a minha dor não chega aos pés dos familiares de todas essas vítimas, mas  ainda assim me pegou de jeito. Hoje tudo cheira ás cinzas. 
Não, não havia parentes meus ou amigos. Talvez algum primo distante que eu nunca conhecerei, ou um amigo que me aguardava no futuro. Mas havia filhos, havia alunos, havia adolescentes felizes por terem passado no vestibular, talvez o primeiro deles. E é aí que me dói, porque poderia ser eu, meus amigos, e a minha família a chorar. Eram jovens, como todos os outros, festejando mais uma vitória. Uma vitória que hoje é cinza, um medalha que se perdeu em meio aos escombros de uma festa. 
Se pudesse, mandaria hoje um abraço á cada familiar que viu seu filho na "Sala do Desespero", deixaria um consolo para aqueles que viram seu amigo, namorado ou irmão ser deixado para trás na multidão, colocaria um pouco de paz nos corações daqueles que sofrem. Mas são só as palavras que me restam, e é por isso que venho aqui dizer que meu dia virou cinza, mesmo não sendo meu.
Hoje não escrevo com pontos adequados, não divido parágrafos e nem releio as frases. Escrevo como quem precisa deixar um adeus, uma marca ou um desabafo. Escrevo como quem usa das palavras pra expressar a dor, e através delas deixa uma prece escondida. Escrevo como uma menina que também vai em festas, mesmo que poucas, que irá para a faculdade, que tem amigos e família como todos aqueles que nunca mais dirão uma só palavra. Essas poucas e desajustadas linhas eu deixo aqui em homenagem a todos que se foram. 

Foi em Santa Maria, mas também foi em mim, em você, nele e nela. Tem coisas que abalam a gente sem que saibamos o motivo, simplesmente deixa assim uma dorzinha de angústia. Força á todos os envolvidos! 

5 comentários:

prazer, Natany Maciel disse...

Também deixo meus sentimentos em palavras http://natanymaciel.blogspot.com.br/2013/01/tragedia-no-rio-grande-do-sul.html ♥

Ariana disse...

Parabéns por esse texto Lara, eu o escreveria fácil, pois estou sentindo muito também por essa tragédia.
Fiquei pensando se fosse aqui, ou se tivesse algum conhecido, sei lá.
É muito triste!

Ana Débora ⋮ Diva Pensante disse...

Que texto... Realmente. Tantas vidas perdidas, que... É perturbador. Ainda não consigo acreditar no que aconteceu. Eu poderia colocar o seu texto em um post meu? Colocarei os devidos créditos. Beijo. Que essas pessoas possam descansar em paz e que as famílias consigam seguir em frente da melhor forma.

Diva Pensante (perfil)

Pequena Julieta disse...

Texto lindo *_* E foi muito triste mesmo o que aconteceu :(

Beijos :*
pequena-julieta.blogspot.com
Novo Post!

De repente dezoito disse...

É realmente chocante isso! Seu texto devia ir em alguma coloca de Jornal local, ou em algum lugar onde todos lessem, ele ta incrível. E vamos continuar orando pelas famílias que perderam seus entes queridos. Eles precisam do nosso apoio!