abril 02, 2012

Sem rascunhos


Dessa vez foi diferente. Eu não tinha script, apenas abri a página e fui escrevendo tudo que enviavam. Vai, mais uma vírgula, mais um ponto, mais um mais. E por aí continuei. E tô continuando. Mas dá tanto medo! Como é que vou saber quando apertar o ponto final? E se ele não vier? E se ele quiser aparecer no meio do parágrafo? Eu vou saber diferenciar os parágrafos? Que desespero. O medo toma conta e eu já fico pensando lá no final quando ainda estou aqui na quinta linha. Acho que sou insegura. Acho que tenho a certeza agora que tenho medo demais dessa tal vida. 
Ok, não está sendo tão ruim. Tô conseguindo, não estou? Tudo bem, mais algumas linhas e a tortura termina. Mas talvez essas linhas demorem muito para terminar, talvez elas nunca terminem sem que eu tenha que gritar o ponto final. Eu tenho medo do final. Eu tenho medo do que eu posso sentir quando apertar o tal do ponto. Vai doer, não vai? Melhor não pensar nisso, não agora. Além de insegura sou ansiosa, uma ótima combinação, convenhamos. Como diria Caio Augusto Leite, morro antes de levar o tiro. Tendo morrido um pouco todas as semanas.
Já estou no terceiro, ou primeiro, entenda como quiser. Ou nem entenda, sério, não vale a pena. Vai, por favor, não interprete cada entrelinha, cada vírgula, eu tô aqui só pra escrever. Só. Não liga. Não entenda. Não me sinta. Não me veja entre essas letras. Sou insegura, ansiosa e mais ainda, sou tímida. Então por favor, finja que não entendeu nada e que somos somente distantes. Certo? Errado. Eu enquanto leio sinto que estou dando minha cara a tapas. Merda. Acho que andarei com máscaras e escreverei com travas para que tudo não fique assim, tão á mostra. Ei, é a minha vida, meus problemas, não posso simplesmente escrever. Mas em quem mesmo eu tô dando essa bronca? Ah é, em mim. 
Pode acrescentar aí maluca, anti social e carente, tudo bem, eu entendo. Eu sempre entendo. Afinal, quem é que merece uma louca escrevendo sem rascunho? Ta aí o resultado. Fica aí, deixa todo mundo ler essas suas neuroses, ah é, neurótica também, acrescenta lá. Vou melhorar, já tô com a receita, só falta ir buscar o tal comprimido. Será que vai ser rápido? Odeio o tratamento. Esperar não é comigo, por mais irônico que isso pareça, me agoniza. Acho que já passou da hora do tal ponto final, talvez eu devesse ter colocado ele no começo de tudo para que esse fim não doesse nem em mim nem em você. Vou indo, eu volto, ainda não consegui acertar o ponto. Né?

Um texto bobinho só pra não deixar o blog sem atualizar. Sinto falta daqui. Beijos no coração!

2 mini memórias:

haha. Eu gostei *-*
Ficou fofo, confuso e direto, rs. <3
HSUAHSAUSHUAHSAUH seu texto foi tão... eu! Adorei seu cantinho! :B

Postar um comentário