maio 01, 2011

Noite de sábado

Sentada com a maquiagem pronta, olhos marcados como de costume, unhas feitas e compridas, vestido, salto alto, perfume marcante, reflito. Olho meu reflexo no espelho, nem pareço a mesma menina que a algumas horas atrás vestia uma regata velha, um shorts largo e um lápis nos cabelos. Gosto da minha aparência agora, super arrumada, e bonita. Mas a menina da regata velha sorri muito mais, com a alma, sabe? Ela ria das piadinhas que lia na internet, chorava com o coração da sua série favorita, ela escrevia poemas apaixonados. A garota agora bonita que o espelho me mostra, só escreve de dúvidas, do superficial, do buraco dentro do peito. Ainda falta duas horas pro comprimisso, e já me sinto cansada, chateada. Nada está errado, o sapato não aperta, o vestido caiu bem, a maquiagem não deu alergia. Mas o desanimo continua. 
Minha vontade era tirar tudo isso e chorar. Derramar rios de lágrimas ouvindo essa música nostálgica que toca agora. Mas não vou. Irei, ainda que meus familiares reclamem, minha mãe me critique, tô indo. Eu preciso ir. Sair de casa, sentir o vento da noite, fofocar o que bem entender sem medir esforços com as amigas, ser olhada. Preciso sentir que alguém ainda me olha, nem que seja o garçom, entende? É esse o buraco. Dói, ecoa a minha solidão pelo meu corpo, ele reclama a todo instante. Não é pelo lugar, até porque não ficarei muito tempo sentada, não é pela comida, porque meu estômago agora recusa até um copo d'água, muito menos pelo preço, porque não pretendo comer muito mesmo. É pela noite, por ser sábado, e eu ter 15 anos e não suportar mais ouvir essas minhas melancolias aqui dentro.
Serão no máximo 3 horas fora, mas já me aliviarão um pouco da bagunça que anda minha vida. Ou da mesmice dela. Essa, que não me mostra nada novo, nenhum amor, nenhuma paixão, nem que seja uma mera quedinha... Nada! A menina da regata por mais feliz que demonstre aqui no seu mundinho, também clama por aventuras, só não é tão vista assim. Já eu, que agora vou ser vista por vários, coloco esse sorriso automático no rosto e vou-me. "Tô ótima amigo, e você, como tá indo?" Ótima, a tempos não sei mais o que essa palavra significa. É bom estar "ótimo"? Alguém aí já esteve? Porque olha, estou longe de ser assim. Nessas horas de noite, consigo me esvaziar um pouco. Tá tudo sufocando, machucando, remoendo, relembrando... Minha vida anda tão nostálgica que daqui a uns dias estarei voltando a falar "gu gu da dá" só pela saudade da infância. 
Ainda falta 1 hora e meia, o relógio não colabora. Tudo está lento, só minha mãe que consegue ir com rapidez aqui no quarto me dando mil motivos pra desistir. Desculpa, mas não vai conseguir isso hoje. Eu vou. Mesmo com as lágrimas pra cair, com a mente querendo descançar, vou mesmo. Por mais que meu coração consiga estragar meu bom humor, ainda tenho uma pontinha dele que me deixa seguir em frente. Aquela parte que me ama, sabe? Por mais que esteja tudo uma merda, ainda conservo meu amor próprio. Me acho bonita, até que legal, e nem tanto simpática, então alguém me diz por que nem um pedreiro pode gostar de mim? Tá tão complicado essa ausência do amor na minha vida. A menina da regatava quer tomar conta, ela viu que textos saírão de montes essa madrugada, será que deixo? Por ela eu até ficaria... Irei para a tal festa, com o sorriso amarelo na aparência e lágrimas na essência.

Escrevi esse texto semana passada, sim, estava exatamente assimTotalmente verídico, e espero que gostem. Beijos!

21 mini memórias:

espero que tenha melhorado da semana passada, já que é verídico. eu gosto quando você escreve, Lara, eu consigo entrar no texto e me sentir a garota, mesmo sem estar passando ou ter passado por isso.
parabéns, sempre. beijos ;*
Me descreveu, Larinha!
Ultimamente eu ando assim. Não tenho vontade de sair, e ainda quando saio é exatamente como você escreveu. Adorei o texto ;)
Eu me sentia assim algum tempo atrás,e sei muito bem como é,sem falsidade nenhuma. Mas procurei me focar em outras coisas,por mais difícil que fosse tentei me concentrar em outras coisas que também são importantes,e que ás vezes está uma bagunça e não percebemos isso,por estarmos sempre pensando no bendito tal amor verdadeiro que tanto queremos.
Muitos falavam isso pra mim: "Quando você parar de procurar,ele vêm". Bem,eu nunca dava bola. Mas então,resolvi mesmo deixar de lado isso,esconder mesmo meu desejo de alguém se apaixoando por mim;e daí aconteceu desse alguém aparecer,me deixar confusa,mas agora feliz,e de bem com a vida de novo,rs.
Espero que esse meu exemplo sirva pra alguma coisa,rs.

Beijos
eei, quanta verdade passou neste texto! é assim mesmo, maquiagem nenhuma consegue esconder o que se passa dentro de nós. o físico pode estar impecável, a roupa incrível mas até os nossos olhos mostram que não está tudo bem. mas ficar em casa, dar lugar a tristeza e a nostalgia, isso não adianta muita coisa querida! Fez muito bem em sair mesmo que seja com um sorriso amarelo no rosto, nunca sabemos o que podemos encontrar por ai, quem sabe encontramos um novo amor ou talvez até um carinha só pra conversar e sair alguns dias, mas isso só acontece se nos abrirmos pra isso e não é em casa que estamos deixando que o novo se mostre presente. Fique bem e não se esqueça que a qualquer momento esse vazio aí passa e você encontra alguém que vai trazer amor de novo pra sua vida. Enquanto isso não acontece, se arrume mesmo, saia, sorria mesmo que não seja um sorriso tão verdadeiro assim pois quando ver já estará sorrindo de verdade e com alegria outra vez. um beijo
Por mais que por fora esteja tudo lindo, na maioria das vezes, por dentro a gente tá gritando. Mas como você mesma disse, você tem 15, tem que se divertir mesmo hehe. Tô torcendo por você. Beijo :*
Ando me sentindo assim já faz um tempo, e piorou essa semana. O vazio doi. A ausência, a nostalgia. Tudo. Mas amanhã é um novo dia e quem sabe tudo melhora.
Amei tudo o que você escreveu (peraí, cadê novidade nisso?). Você sabe escolher as palavras certas e traduzir meus pensamentos (e acredito que de mais garotas por aí).
Beijos, Larinha!
É como Fernando Pessoa dizia, cada um tempos pelo menos três versões de si, uma má, uma neutra e outra boa. Ficamos na neutra. Mas há uma hora que temos que abri a mão de uma e dar espaço para outra.
É bom sair, sentir o vento, mesmo que aquele sorriso seja amarelo e por dentro só exista ausência. Ando precisando sair rs'
Ótimo texto como sempre Lara (:
Beijos e boa semana
*0* amei o texto :D
quanto tempo em Lara,nem to entrando mais no twitter... saudades
Lara, viver e ser feliz não é fácil pra ninguém, estar ótimo então, impossível. Acho que aí que ta a graça em viver, que graça teria viver e ser sempre feliz, estar sempre bem com a aparência ~risos~

Beijo
Que lindo *-* Pois é, embora se sinta péssima, sem ânimo, e querendo apenas ficar em casa, apesar de tudo, é sempre bom sair e se lembrar como é ''estar ótima''
É tão ruim quando a nostalgia nos pega de supresa. Por muito tempo eu vivi assim, com um sorriso falso no rosto, mentindo para as pessoas que eu estava feliz. Mais minha linda isso passa, tenha certeza que passa.
"Serão no máximo 3 horas fora, mas já me aliviarão um pouco da bagunça que anda minha vida. Ou da mesmice dela. Essa, que não me mostra nada novo, nenhum amor, nenhuma paixão, nem que seja uma mera quedinha... Nada!"

Te entendo perfeitamente flor, eu estava assim, mas tu tens que sair mesmo, tentar se divertir, se permitir conhecer novas pessoas e quem sabe num desses encontros tu não conheça um novo amor, paquera?
Tu não pode é desistir, nunca, por mais difícil que esteja!

Beijos
"Serão no máximo 3 horas fora, mas já me aliviarão um pouco da bagunça que anda minha vida. Ou da mesmice dela. Essa, que não me mostra nada novo, nenhum amor, nenhuma paixão, nem que seja uma mera quedinha... Nada!"

Essa é a minha vida! haha
Ando tão assim, logo eu, que sempre achei ser movida pelo amor, que meu sorriso só existisse por causa dele, ando aprendendo a descobrir novos motivos.
Mas preciso daquela alegria antiga que é ter alguém para amar e dedicar palavras e sorrisos.
Sair de casa é a solução, sair do esconderijo, porque é numa esquina dessas que o amor vai surgir. Se esconder do mundo ainda não é a solução.
já me senti tanto tanto assim e já sai tantas e tantas vezes sem muita vontade só para disfarçar o vazio! mais um texto incrível.. beijoss! =*
Acabei me identificando com todo esse feeling, bateu um momento nostalgico dos meus 15 anos e eu fiquei pensando no quanto o tempo passa e geralmente a coisa não muda muito.
O vazio na verdade se transforma parte daquilo que somos, e ao invés de um incomodo ele ganha aceitação. Isso não significa que ficar deprê é legal, não, é uma merda!
Mas enfim, girl, espero que a festa tenha melhorado teu animo :)
Me encantei como teu texto.
Normalmente eu me sinto assim antes de sair, deprimida, sentimental.
Já desisti milhões de vezes de sair quando estava já maquiada e com uma roupa bonita no corpo.
Pelo menos você saiu, muitas vezes nem isso eu consigo fazer.
É um desanimo de fazer qualquer coisa que envolva sorrir e fingir ser normal.
Mas chega de falar de mim! O blog é teu e o texto também. Parabéns pelos dois e por escrever com tanto sentimento!
Adorei, porque ele é real, porque eu me identifiquei sabe. Amar faz falta. Bom guria, nem sei o que dizer, a solidão tem me fisgado ultimamente, mas sair e tentar se divertir é a melhor saída. Uma hora a gente consegue. Beijão
Ah, estes ecos que não se calam no nosso vazio. Este buraco que não é preenchido com nada, as vezes, mascaramos as nossas faltas com um novo amor. E a vida segue... meio sem rumo, mas segue...

Beijos da Flor
Olá -
Só atentando a um detalhe: As vezes, a tristeza e as dificuldades são válidas , já que apo´s vencidas, se tornam em momentos de extrema alegria .
Parabens pelo post - ÓTIMO!
Cada vez que eu venho aqui me encanto mais ainda com as tuas palavras, com o teu jeito de escrever, com a pessoa que tu é e com o jeito que és guerreira. Beijo no coração, fica bem!
A menina da regata é bem mais feliz do que a de salto não é mesmo? É melhor mostrar quem é, do que não ser de verdade.

Postar um comentário