março 18, 2011

Coração de vento

Ando pelos cantos procurando as tais borboletas que saíram voando faz um tempo e ainda não voltaram. Vistes por aí? E não é só. Procuro pelo sentimento amor, aquele que faz os olhos brilharem e o coração palpitar mesmo, sabes qual é. Já deve ter doído em você também. Quando doeu em mim, eu o expulsei sem pensar duas vezes, tô sentindo falta. Procuro pela paixão também, essa aproveitou a deixa do amor e foi-se. Tá fazendo falta. Por mais que procuro, mais distante tudo fica, só pode. Porque diabos eu não os encontro? Já se passou tanto tempo, oras, já eram pra ter aparecido. 
Meu coração anda aos gritos, chora baixinho toda noite pelo amor, tá doendo mais agora do que antes quando ainda o tinha. Podes pensar que sou uma ingrata, sempre infeliz com tudo, mas vem aqui viver sem o amor. Venha ver como é acordar todo dia e não ter em quem pensar; olhar casais unidos e sentir um aperto no peito; escutar tuas amigas contando das paixonites e não conseguir não ter inveja de daquilo; por mais platônico, doloroso, ou até não recíproco que o amor das pessoas ao meu redor sejam, eu quero. Quero todos se for preciso. 
Repito: se vires por aí as borboletas, me grite. Mas grite alto pra caramba, tá me entendendo? Não aguento mais nenhuma semana nesse estado. Meu coração chega a fazer eco gritando pelo amor. Cadê? Onde foi? Amor, tô querendo que volte aqui habitar esse pobre buraco no meu peito. Lhe suplico informações, a situação está tão crítica, não tá vendo? Minha mente anda aberta demais, os braços soltos demais, e o coração, vazio demais. Preciso de alguém, e é pra ontem. Vento, vá se embora de mim! Quero mesmo é alguém pra me fazer sorrir abobada nos finais de semana, ah, de preferência que sinta o mesmo. Seria pedir muito? Enfim, volte logo. 

Texto verídico, escrevi no fim de semana passado. Quero agradecer de coração os 300 seguidores, obrigada mesmo, era minha meta chegar neles no dia do aniversário do blog, mas me superaram, haha. Obrigada! Beijos.

18 mini memórias:

Que texto lindo dona Lara. amei!
lindíssimo texto! e muitas vezes dói mais a não-existência do amor do que a existência e o possível sofrimento pelo mesmo :)

beeijos :*
Obrigada (:
Este testo está simplesmente lindo *-*
Beijinho*
Own Lara, espero que esse amor chegue logo. Para o seu coração parar de chorar baixinho, e decidir, sorrir. Parabéns pelo texto! Um encanto. Beijos =*
Lara, eu pensei que só eu estivesse assim. Também não aguento mais, a ausência das borboletas no estômago começaram a encomodar-me, muito, muito mesmo. E já faz muito tempo que elas se foram, é realmente doloroso se ver só, mesmo que acompanhada por outras pessoas, e quando eu vejo aquelas pessoas perdidamente apaixonadas, aquelas das fotos mais lindas do mundo, me dó no coração saber que eu não sinto aquilo. E digo que estou num estágio avançado porque até as típicas brigas de casais eu queria, só para poder tê-las, é um desejo que me correi a cada dia que passa. Não ter ninguém em mente nem no coração, tem sido destrutivo para mim esses dias, e esse seu texto serviu-me como um conforto, de tão lindo que é e da minha identificação com ele. Espero que as tuas borboletas voltem, e as minhas também, não aguento mais isso.
Bia Oliveira :) março 18, 2011
Aw lara, não fica assim não. É ruim, eu sei, mas você vai superar viu? E desculpa por te contar tudo enquanto aí dentro está vazio, desculpa mesmo te fazer ouvir tudo isso todos os dias :(
Eu acho que quando mais a gente tenta encontrar as borboletas, mais a gente quebra a cara. Aí um dia você está olhando para o nada e pensando em nada até que uma borboleta pousa em você. Tenha a certeza de que em algum lugar, alguém está guardando várias borboletas pra você, e pode demorar o tempo que for, essas borboletas vão chegar vivas e vão viver por muito tempo aí dentro de você.
Beijos :*
coração não quer ficar vazio, e a mente quer ter em quem pensar. sei bem, por isso pulei pra outros amores e outras pessoas, pra não enlouquecer. o amor faz falta dentro da gente. estar boba, apaixonada, sentir saudade, sei bem, muito bem. que o amor venha, mas que você o descubra dentro de si também. um beijo
eu já me senti assim, e então eu arrumei um amor. mas ele era só meu, doeu. *-*

beijoca *:
Não ter o amor, com certeza doi mais do que tê-lo, mesmo que esteja ali por está. Porque tudo pode-se ir, mas este, o amor,deverá restar. Nem que seja por si, talvez, esse seja o melhor amor.
beijos.
e sabe por que você ainda não encontrou as tais borboletas querida lara? Por que você anda procurando.

Largue mão e logo elas chegarão até você.

sabe né..."cuide do seu jardim e decore a sua alma"

elas vão voltar.

;)

um beijo
Caramba! Estava pensando nisso essa semana!
Faz um tempinho que espero esse sentimento voltar a aflorar em minha vida também.
O jeito como usa as palavras nos faz viver o que você vive. Parabéns!Beijos, Jéssica.
Só buscar essa calma dentro da alma que grita pulsante dentro de você...

saudades daqui.
Tu vais achar esse vazio incurável para ser preenchido!
Vazio e silêncio nem sempre é paz não é?! Bom é a inquietação das borboletas e expexctativas que o sentimento nos tarz....gostei do blog moça! :)
Ai que blog LINDOOOOOOOOOOOO
AMEIII
to te seguindo com o maior prazeer!
Comecei agora no blog e to amando essa vida de bloggueiro
rsrs
bjoos!
Sabe, eu tô assim, mas de vez em quando invento uma paixonite sem fundamento, pra pelo menos aquecer esse pobre coração. Mas tou cansada disso, pq nem sei mais como é o amor, como é estar apaixonada, só o que resta é a lembrança do que foi...
Também tou precisando disso, pq dói do mesmo jeito se fosse por um coração partido.
Lindo *-*
bj
Laraaaaaaaa o amooooor corre,corre o amoooooooor kkkk (vc disse pra gritar se eu visse as borboletas )
Acho que quanto mais procura menos se acha,acredito que é sempre quando menos se espera. Mas confesso que no fundo todos ficam esperando.
Parabéns pelos seguidores (:
Beijo
Apaixonada de verdade, confesso, já estive há um bom tempo. Mas sinceramente? Não sei o que dói mais: se passar pelo amor, e se machucar, ou se ter a ausência dele.
É difícil...
ótimos textos os teus, sempre visitarei.
BEIJOS!

Postar um comentário