junho 19, 2013

Em progresso


O gigante sonolento finalmente acordou e caminha em busca de melhorias. Gigante esse que dormira o máximo que pudera, mas na última buzinada, mesmo que insignificante, juntara-se com todos os tambores e orquestras que tocavam incessantemente e  despertou. Não é só uma buzinada. Não é só um tambor. Não é só uma orquestra. São anos e anos de barulhos e badernas ao redor que já não é suportável. Ninguém aguenta ficar muito tempo no barulho, na sujeira, na desordem. É preciso se erguer e organizar o quarto, a casa, a rua, o PAÍS. Hoje um país se levanta e luta para que o amanhã torne a casa organizada, que não haja mais sujeiras escondidas debaixo do tapete das grandes salas. Mas a luta nem sempre é fácil. Os competidores são difíceis e há ainda aqueles que preferem manter-se sentados em frente a TV esperando a bola que corre no gramado verde e fresco acerte-lhes a cara. No entanto, esses são os mesmos que ficam sentados nos bancos precários dos hospitais, deitados nos corredores por falta de quartos gritando por médicos que se dividem em cem para conseguir atender a todos com um pingo de dignidade. São os mesmos que deixam seus filhos em escolas com carteiras faltando, salas lotadas, professores cansados de tanto trabalho e pouco respeito. E a bola te acerta em cheio ao rosto, quebra as paredes da tua casa que não é tão estruturada quanto o novo estádio, desabriga teus filhos que não são tão valorizados quanto os jogadores, te joga no chão e não te buscam com a maca no meio da sua rua sem asfalto, pois não tem o brilho de uma grama verde e macia. 
Minha posição é firme, antes de aceitarmos um evento tão grande deve-se aceitar a realidade. Há crianças nas ruas porque não tem escolas suficientes. Há pessoas morrendo na porta de hospitais lotados. Antes de investirmos em estádios, deve-se investir nas escolas. Cadê a valorização daqueles que alfabetizam seus filhos? Imaginem vocês, caros governantes, terem que cuidar de 40 crianças numa sala de aula, lidar com crianças que passam fome, tem problemas com a família e ainda sofrem preconceito quando saem as ruas. Preconceito maior esse vindo dos de altas classes, os que se julgam cultos porque tiveram mais acesso a uma 'escolarização de qualidade'. Toda escola deve ser de qualidade. Toda criança tem o direito de estudar em uma sala de aula que tenha uma mesa e uma cadeira, um quadro em bom estado, livros didáticos em boas condições, professores adequados, um ambiente que o acolha e não o aprisione. E além do mais, há o fato de ao fim do mês, os professores receberem uma quantia ridiculamente baixa para meses de trabalho contínuo. Sem professores não há médicos, advogados, engenheiros ou arquitetos. Professor é a base da educação, e ironicamente são os menos valorizados. 
Disseram-nos que 'a copa não é feita de hospitais, mas sim de estádios' e ainda querem que fiquemos calados. Ainda querem reprimir aqueles que chamam a atenção com badernas nas ruas. É muito fácil ter sua voz sendo ouvida quando já se é conhecido, mas imagine-se agora na posição de um cidadão qualquer, como falar? Há microfones para todos os brasileiros? O fogo nas ruas é o grito dos reprimidos durante uma vida, ou metade dela. O "vandalismo" talvez não seja correto, mas aposto que agora há mais cabeças voltadas para as ruas. Ninguém liga quando uma fala de sempre está tocando no comercial da TV, mas sempre aumentam o volume quando o jornal se exalta, a notícia é realmente nova e diferente. A diferença está sendo feita. A TV continua repetindo as falas de sempre, mas agora há um comercial e outro trazendo a sua cara representada por milhões de jovens e adultos ali numa avenida com cartazes. Há um país que caminha junto em busca de uma solução. A união faz a força, e numa luta sempre deve vencer o mais forte. Basta de cartas embaixo da manga e truques. A luta deve ser limpa e justa. O troféu será erguido por toda uma população que luta por uma só causa: seu país. 

Poderia ter citado mais mil casos ocorridos nessa última semana, mas o clichê a gente deixa de fora. Valorizemos a atitude que muitos estão tendo e que a tomemos como exemplo. Vamos á luta Brasil! 

2 mini memórias:

Cara, texto muito legal *~*

blog-epitaph.blogspot.com
Você não poderia ter escrito de melhor forma o que tá acontecendo no Brasil, Lara. Adorei o seu texto, genial. :')

Arih

Postar um comentário