fevereiro 18, 2012

Entre linhas


Alguém aí sabe quando é que a vida começa a ser como a gente espera? Porque, olha moço, tá difícil de acreditar que um dia ela possa acontecer do jeito que eu quero. Tim tim por tim tim. Não aguento mais ouvir essas frases clichês de que nem sempre podemos ter tudo que queremos, que a vida nem sempre é bela, e que as coisas nunca são do jeito como a gente quer. Só mais um blá blá blá. São sempre as mesmas palavras, a mesma falta de vontade em dizê-las, se todo ano eu espero uma vida perfeita, quando é que ela finalmente chega? Tá demorando e tenho pressa. 
Desculpe-me a falta de jeito, a trombada logo ali na entrada e a cotovelada enquanto falo, ando uma bagunça. Acerto as pontas de um lado e acabo arrancando os pontos do outro. Quando poderei firmar meu bordado sem que um lado aleije o outro? Mas aí você me vem com mais uma daquelas, uma das que eu menos gosto "espera, nem tudo é na hora que a gente quer". Pois eu quero agora! Minhas linhas e agulhas estão sempre dispostas, só falta um tecido que não entorte a cada ponto. Mais segurança. Mais confiança. Mais certezas. Eu quero que as coisas se acertem. Quero finalizar um bordado e não jogá-lo no canto da gaveta novamente.
Eu sei que é complicado. Eu sei que eu devo esperar. Eu sei que é preciso paciência e força. Mas também sei que ando esperando a tempo demais, que anda sendo difícil demais e que esperar já não é algo que meu estômago aguente. Desculpa pelo desabafo, pelas palavras confusas e pela dificuldade em respirar entre cada frase, precisava deixar tudo sair de mim pra ver se fico mais leve. É, anda pesado carregar tantas cargas nesses dias. Tá complicado, de verdade. É difícil sabe, como se a cada dia a gente levasse a esperança de melhoras mas tudo que se vê são dias de chuva. E eu não consigo bordar com o escuro que a chuva me trás. Ei, luz, vem fazer uma visitinha aqui na minha vida. 
Agora vou tentar arrumar meu bordado, de novo. Talvez, com sorte, eu consiga deixar os lados menos desiguais. Talvez, depois de tanto tentar realinhar minhas linhas, eu consiga finalmente arrancá-las e começar de novo. Ou talvez eu apenas desista e guarde tudo na terceira gaveta, de novo. Mas parece que o tempo vai abrir, ontem fez sol e eu quase consegui organizar um errinho, mas foi quase. Faltou-me um tiquinho de esperança. Hoje talvez o tempo abra, talvez eu consiga sorrir e esquecer esses meus bordados errados e esqueça, nem que por umas breves horas, como é difícil essa tal da vida. Talvez eu só precise de uma mãozinha para carregar toda essa carga. Me acompanha? O caminho é longo mas talvez, com você, tudo fique mais leve.

Sabe quando uma coisa se acerta e outra desanda? Então. 
Beijos no coração!

4 mini memórias:

Fico feliz, quando leio algum texto que me puxa, esse foi um deles, acompanhei do início ao fim.
E sim, minha cara desconhecida, é muito confuso quando uma coisa dá certo e outra desanda, to um tanto assim ultimamente! Torço para que suas linhas se "alinhem" logo! =*
Clichê é, mas a vida é assim. Se tudo começar a ficar perfeitamente no lugar, a emoção de lutar e vencer perde o sentido. Há quem goste, mas não consigo imaginar felicidade plena, deve ser um tanto tedioso.

A respeito de conseguir o que se quer, é tudo questão de atitude, fé e muita coragem. É sempre possível, a gente é que tem a mania de taxar impossível o que não temos coragem de lutar pra realizar.

Ótimo texto :)
embora vc me ignore com´letamente eu sou mt fã de seu blog bjoooooooooooooos
super lindo eu gostei, me fez pensar muito ><' maravilhoso !

Postar um comentário