dezembro 26, 2011

Norte e sul


Estava tudo indo bem, a vida caminhava em passos lentos e na direção que julgara eu ser a certa. Tudo bem. Até você aparecer. Quando o coração começa a querer olhar pra outro caminho, o teu floresce e me mostra as mais lindas flores pra que eu me encante ainda mais e siga por lá. Conseguira. De novo. Estou indo pro norte. Depois de tanto tempo, quase um ano inteiro, tu me aparece assim como se meu coração fosse de brinquedo e suportasse essas minhas recaídas. Nossas recaídas. 
A máquina, é, eu sei que tu deve deixar ela escondidinha aí debaixo da cama. Sim, aquela máquina que desperta toda vez que tu percebe que eu consigo sem ti, aí tu volta. Me deixa confusa e apaixonada por mais de meses e me deixa na mão. Sofrendo, chorando pelos cantos. Quando finalmente me recupero tu volta, e por aí vamos nós, caminhando por esses anos que nos separam. Quem dera fossem apenas o tempo o nosso problema. 
Dessa vez tu cravou fundo uma lembrança, essa recaída tem me maltratado mais do que as antigas. Quer saber o por quê? Porque acredito dessa vez que tu realmente ainda sinta. Será mesmo? Não ando me iludindo com pouco como sempre faço? Estou com medo. Sofro por antecipação, sei que é bobeira minha, tu tá lá e eu tô aqui, o caminho ainda é longo demais pra que dê certo. Pra que seja certo. Mas eu acredito, o coração bate mais forte em qualquer palavra tua, boba que seja, poucas que sejam, eu ainda almejo um futuro pra nós. 
Tu deve estar pensando que eu sou uma carente solitária que te ama platônicamente, não deve? Eu sei que está. Tantos textos, citações, músicas. Não liga não, é que gosto de falar de ti com as palavras. Sempre, desde o início, elas souberam mais do nunca sobre tudo que passei, do que não falei, do tanto que amei... Sabe, falando em amar, eu nunca consegui imaginar a cena de um "eu te amo" sendo falado por mim pra ti. É tão óbvio, não é preciso palavras, tu já sabe. "Eu te amo" chega a ser balela pelas milhares de palavras de amor que já escrevi pra ti. 
Passaram-se tantos anos, e eu ainda lembro daquele filme na madrugada, do esconderijo, das tuas palavras na janela... Tanta bobeira que eu pensei lembrar sozinha, mas aí tu me relembra, menino, o coração não aguenta. Não dá. É tanta coisa, tantos pequenos detalhes que ficaram gravados em mim e também em você. A gente ficou marcado. Como se por mais que ambos quiséssemos seguir em frente, cada um por um caminho, tivesse sempre um encontro onde teríamos que escolher entre nós e a vida, e tu escolhe sempre a vida olhando pro meu caminho, e eu escolho o teu caminho enquanto olho a vida. Vê se dessa vez, vem pro sul, o meu caminho eu enchi de flores pra te atrair. Te espero ali na encruzilhada, se quiser, podemos se encontrar no meio do caminho e deixar a vida levar. Estando contigo eu vou pra qualquer canto. Que tal rodar o mundo?

E como eu disse aí, gosto tanto de falar com as palavras de ti.

3 comentários:

AquilesMarchel disse...

AE AE AE

LI CADA PALAVRA E É EXATAMENTE COMO EU FAÇO, DESCREVO A PESSOA E AS SITUAÇÕES COM ELA EM CADA PALAVRA MUSICA
MAS ACHO QUE ISSO HJ EM DIA NAO CAUSA MAIS EFEITO
SE É QUE CAUSOU
MAS É BOM GUARDAR CANÇÕES E MOMENTOS
MAS ACHO Q AMOR RECONCILIADO É COMO COMIDA REQUENTADA
NUNCA É A MESMA COISA /;/

Jeniffer Yara disse...

E é tão lindo ver todo esse amor nas lindas palavras que escreves ^^

Beijos

Gilstéfany L disse...

"A gente ficou marcado. Como se por mais que ambos quiséssemos seguir em frente, cada um por um caminho, tivesse sempre um encontro onde teríamos que escolher entre nós e a vida, e tu escolhe sempre a vida olhando pro meu caminho, e eu escolho o teu caminho enquanto olho a vida. Vê se dessa vez, vem pro sul, o meu caminho eu enchi de flores pra te atrair. Te espero ali na encruzilhada, se quiser, podemos se encontrar no meio do caminho e deixar a vida levar. Estando contigo eu vou pra qualquer canto."

Acho que esse texto foi um dos melhores que já li no teu blog Lara, esse trecho é perfeito. Parabéns!