julho 30, 2011

A carta





Querido,
Não sei teu nome, tua idade, ou qualquer coisa do tipo, mas também não estou aqui pra saber. Me leia, escuta essas minhas palavras prensadas aqui, por favor. Não é fácil dizer tudo isso, estou enferrujada, meus dedos já não sabem o que é correr por esse teclado a fora sem ter que parar a cada meia palavra. Sinto falta de escrever com meu coração bonito, me entende? Descrever minhas tardes apaixonadas, contar do toque das mãos, dos beijos apaixonados. Eu sinto uma falta absurda do amor! Você deve estar pensando que isso não é motivo pra ficar triste, mas meu amigo, pra alguém que antes lotava cadernos num piscar de olhos não conseguir lotar um sulfite é de dar um desespero sem fim.
Seria frescura minha dizer que a falta de amor me trucida tanto assim, tem mais amigo. O amor nunca fugira totalmente de mim, ele mantém um fulano escondido aqui no coração, sabe? Aquele amor doído que grita toda vez que o nome dele é falado alto. Eu o amo, muito, mas sofrer eu num guento mais não, amigo. Doeu demais já, minhas lágrimas secaram de tanto que chorei, não dá mais pra sustentar algo assim dentro do peito. Mas quem disse que sai? Ih, esse amorzinho miserável faz questão de ficar, sabe como é, é o tal do "primeiro amor" que a gente (infelizmente) nunca esquece. Ele me machuca, ainda mais por saber que é só desse lado que eu guardo o infeliz. 
Estou perdida, confusa, sozinha, carente... Uma merda. Meus pensamentos não se fixam, relembram o ocorrido triste da última semana. Eu perdi alguém, sabia? Não, ele não partira do modo que está pensando, o que deixa tudo pior. Odeio o fato de relembrar as cenas, as falas, a falta. Mas eu sei que no futuro é pro melhor, eu sei, só que aperta o coração do mesmo jeito. Vou superar? Sempre supero, se não nem aqui mais estaria amigo. Só que dói, tu sabes, quando alguém parte ela leva um pedaço do coração junto e nem pede licença pra arrancar sem a anestesia de um "adeus" ou quem sabe até "nunca te esquecerei". Estou me definhando com todas essas mágoas guardadas.
Poderia escrever mais 10 parágrafos contando a mesma história só que em palavras diferentes, mas isso me renderia mais lágrimas e muito do teu tempo, sou realista, sei que cansa ouvir o problema dos outros por isso nunca me ouves falando dos meus. Mas como já citei, estou me destruindo. Não faça como eu, junte teus amigos e se abra, ouviu bem? Nunca deixe chegar assim, como essa encalhada que escreve cartas pra alguém inexistente. Tu tem alguém, sempre, pra te dar apoio! Tenho que pegar o trem, tô indo embora da vida, até qualquer dia, ou outra carta. 
Atenciosamente,
Pra sempre sozinha.


1º Ps: Não tenho muitos textos salvos aqui, não tenho tido muita inspiração pra conseguir escrever coisas boas, então só me restou essa carta meio que desabafo (como sempre) triste.
2 Ps: Não estou assim, pelo contrário, estou feliz. Mas tive maus momentos..
3º Ps: Coloco a música no player no youtube que escutei enquanto escrevia o texto, as vezes não tem nada parecido com a letra, é mais o toque que sempre me inspira. Espero que gostem! 

18 mini memórias:

Se eu recebesse uma carta assim, eu ia chorar (muito), e também ia apreciar a escrita da pessoa. Você esta escrevendo melhor, ou é somente impressão minha? Gostei muito dessa postagem, embora seja um pouquinho triste.
O fexamento da carta foi o que mais me tocou "Tenho que pegar o trem, tô indo embora da vida, até qualquer dia, ou outra carta." *-*
Beijos ;*
Bruna Cerqueira *-* julho 31, 2011
Como sempre você me surpreende cada dia mais com seus lindos textos. (:
que lindo, que triste.
Seus textos estão cada vez melhores, tua escrita então nem se fala. Parabens.
"Ih, esse amorzinho miserável faz questão de ficar, sabe como é, é o tal do "primeiro amor" que a gente (infelizmente) nunca esquece." - Infelizmente mesmo.
Adorei essa carta, Lara. Tu tá cada dia melhor. *-*
esse texto ta muito parecido com meus ultimos textos
o tempo não cura
apenas disfarça
saudade de ler voce bjus
Então... Estranho né? numa maré de coisas boas aparecerem uma ruim... Eu sou do tipo que não esquenta, mil problemas e eu a mil.. sempre tive uma resposta bem positivas a cercaa das coisas, boas e más... Foda-se tudo. Muitas vezes das coisas mais alegres e perfeitas surge uma depressão... É tudo tão complexo pra minha humilde mente que eu prefiro deixar as coisas sem muito impacto, porquê, se você torna coisas grandes, maiores que você, você não suporta o ataque delas.!

Abraço!
@juhhouse
Não Lara, não é rea, fraças a Deus, é só um conto. rs
Uma carta triste, porém cheia de sentimentos. Lara, descrever sentimentos é uma tarefa difícil e complicada, onde muitas pessoas param por aí. Talvez seja por medo, receio de alguma coisa ou até mesmo algum tipo de trauma conquistado ao longo de algumas situações que não foram tão boas assim.
Em todo caso, por mais que não seja aquilo que se passa em sua vida, é algo que normalmente acontece. São várias as decepções, as saudades e medos que possuimos em alusão às pessoas que gostamos. É complicado viver sempre guardando as coisas só pra si mesmo. Graciosamente, você conseguiu demonstrar sentimentos tristes em uma bela carta.
Uma ótima semana, um grande beijo!

Pedro Menuchelli
bonito e triste.
nem me fale disso, sei o quanto torturante é. Lara, já disse que adoro esses seus textos, e principalmente o formato em que são escritos? Essa combinação de sentimento com a forma como você dirige as palavras... amei. Tenho uma queda/precipício por cartas... adooro escrevê-las, rs.
Adorei mais uma vez, Lara ;)
Ah, e a propósito, ando tendo problemas para escrever também viu... o que será? Acho que deve ser a fase da lua que nos deixa assim, haha.
"Não faça como eu, junte teus amigos e se abra, ouviu bem? "

Se fosse fácil né flor, eu acho uma tortura me abrir. Hoje mesmo a minha terapeuta me disse que ao mesmo tempo que sou auto suficiente , ( não consigo falar e nem pedir ajuda) sou também carente, que preciso de atenção.
Essa carta ficou triste apesar de bem sincera.
Eu te entendo bem e me vi nessa carta em vários trechos, pode ver pelo meu twitter.
Dói muito sim, choramos muito também, mais passa mesmo que demore.
A saudade sempre vem, o medo, a dor, mas temos que ser fortes e tentar ( conseguir) seguir em frente.
Como já dizia a Tati Bernardi:

"Não adianta só virar a página, muitas vezes precisamos rasgá-la."

Beijos
Esta carta ao som de Renato Russo, me fez lembrar sua versão de "A carta" dele com Erasmo.
Sei muito bem como essa falta de amor, em que faz faltar tudo, até inspiração, porque palavras escritas sem amor, melhor nem sê-las né?
É bom passar por esses mal momentos, porque como diz Renato nesta músicas "são esses estranhos amores que nos fazem crescer e sorrir entre lágrimas."
beijos.
Essa história de que um dia a gente esquece é mentira! A gente sempre vai lembrar, mas um dia para de doer.
Beijos
muito triste, mas tbm muito sincera.. os sentimentos, principalmente o amor, parece qu brinca com agente.. gosta e sabe como apertar no peito.. causando coraçoes machucados.. lembranças dirtocidas e uma saudade infinita do que foi vivido.
amo seus textos e saiba que me indentifico mt com eles. beijos..
e vc tem mt criatividade sim :*
Um outro belo desabafo, que é tão parecido com o meu.
Continue escrevendo... SEMPRE.
O primeiro amor marca mesmo, e, passe o tempo que foi, sempre está guardado dentro de nós. Se não termina bem, nos resta, ao menos, as memórias boas que essa "fase" nos trouxe.
Como sempre, belíssimas palavras. É bom desabafar, melhor ainda quando se escreve tão bem quanto você.
Que bom que já está bem, mais "recuperada".
Amo essa música do Renato, é muito linda!
Beijinhos.
Que carta triste =/ Mas precisas desabafar mesmo,todos temos nossos momentos ruins,e precisamos extravasar o que guardamos conosco,sempre,não resolve,mas ajuda ;)

Beijos
Lara, esse tal de primeiro amor, machuca, dói, mas com o tempo vc vai lembrar disso com um sorriso no rosto, não da dor, mas do sentimento.
Isso de se sentir só, de se sentir "presa" em si mesma é algo da solidão. Como vc disse aí na carta, se abre pros amigos, eles sabem o que fazer com a gente né,rs.
bj

Postar um comentário